[English] Printer-friendly version
The Ecumenical Patriarch
The Ecumenical Patriarchate
Bishops of the Throne
List of Patriarchs
Other Orhodox Churches
Theological and various articles
Ecological activities
Youth ministry
Interchristian relations
Conferences
Photo gallery
Holy Monasteries and Churches
Creed
Church calendar
Icons
Byzantine music
Contact details

Ἀρχική σελίς
Ἀρχική σελίς

DISCURSO CATEQUÉTICO ACERCA DO INÍCIO DA SANTA E GRANDE QUARESMA 2013

Ἐπιστροφή
Ἐπιστροφή

Prot. No. 240

+ B A R T O L O M E U
PELA MISERICÓRDIA DE DEUS,
ARCEBISPO DE CONSTANTINOPLA-NOVA ROMA
E PATRIARCA ECUMÊNICO,
A TODO PLEROMA DA IGREJA,
A GRAÇA E A PAZ
DE NOSSO SALVADOR E SENHOR JESUS CRISTO
E DE NOSSA PARTE, A ORAÇÃO, BÊNÇÃO E PERDÃO.


Irmãos  e filhos amados no Senhor,

Os Santos Padres que sempre ordenaram as coisas convenientemente, determinaram que a grande festa da Ressurreição do Senhor seja precedida por um período de quarenta dias de ascese e de purificação espiritual. A ascese se faz pela restrição de alimentos, pelo jejum, mas principalmente pela abstinência do mal. Ressalta precisamente o sacro hinógrafo que o abstinência verdadeira e bem aceita por Deus é aquela da conversão do mal, da contenção da língua, da abstinência da ira, do afastamento dos desejos, da calúnia, da mentira,  da mentira e da prevaricação; aquela da luta pela justiça, da vigilância da lógica passional, da confissão fervorosa, da purificação da consciência, “do que nada no mundo é mais impetuoso”, da continência das “paixões destrutivas, do crime e do ódio, e de toda maldade”, o afastamento “da mente que vagueia”, da confissão do erro; pois “próxima e ante às portas se encontra luz ”, que examina o coração,  e que está em toda a parte e a todos purifica” (Grande Cânon de Santo André de Creta)

A acesse corporal tem por finalidade a nossa purificação  espiritual enquanto é sinal de dedicação e de amor a Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Senhor e Deus, e simultaneamente, amor ao nosso próximo. Eis a prova última de que somos os discípulos d’Aquele que nos ama. Nosso amor deve ser concreto  e por isso, pelos irmãos, exige  algum sacrifício. Pois o amor que não exige sofrimento e sacrifício pelo amado não passa de um discurso vazio. Sobremaneira, nesta época de grande crise moral e econômica, aos que temos oportunidade, oferecer com alegria, o amor e o respeito ao nosso próximo, ajudando-o. Assim então nossa alegria pela Ressurreição do Senhor será plena, nossa oferta ao menor dos irmãos, ao nosso próximo, será perfeita. “Quem ama seu próximo como a si mesmo nada mais possui que o próximo (…) quanto mais acumular riquezas, na mesma medida faltará o amor”. Patrística. (San Basílio, Para os que se enriquecem, PG 31, 281B)

O mundo crê, infelizmente, que a felicidade signifique “receber” e “ter” riquezas, glórias, reconhecimentos, e outros prazeres. “Nada é mais inútil que um homem que não sabe amar”. “Quando alguém vier a ti pedindo cura corporal ou espiritual, não te perguntes, porque esse ou aquele não são saudáveis? Ao contrário, cura sua doença e não busque motivos para sua omissão. Se derramas sobre alguém o bálsamo da palavra e do ensinamento, com doçura e o curas com firmeza, aquele retornará para ti, qual tesouro de maior riqueza. (São João Crisóstomo, II Carta aos Coríntios XXVIII e Contra os Judeus VIII, PG 61, 586-587 e 48, 932-933). A verdade é que a felicidade e a satisfação da oferenda de amor e de bens materiais ao próximo são incomparavelmente maiores que as riquezas do mundo. Há um pensamento social corrente e que é transmitido aos jovens que o caminho mais conveniente é o do egoísmo e o da avidez. Estas ideias, contudo, quando predominam produzem transtornos sociais e finalmente prejudicam os que adquirem de maneira desmedida, desfavorecendo os demais. A inevitável desagregação social deve normalizar-se por si, através do oferecimento dos que tem aos que não tem. Assim Nosso Senhor indica:

Aquele que tem duas túnicas, dê uma a quem não tem (Lc. 3, 11). Somente através do mais profundo sentido de nossa união com o próximo, sobretudo com aqueles que nada tem, caminhemos neste período da santa de grande Quaresma de maneira agradável a Deus, tendo as bênçãos de Cristo.

O presente ano, o proclamamos “Ano da Solidariedade Mundial”. Logo, devemos, por causa da grave crise econômica mundial, mostrar ainda mais disposição em ajudar nossos irmãos necessitados a ter o mínimo necessário.
Desta maneira transitaremos pelo  “eminente estágio das virtudes”, agradando a Deus por nosso progresso espiritual, “recebendo nossa paga e nossa justa retribuição”, para festejarmos com plena felicidade a santa Ressurreição do Senhor, pela qual “verdadeiramente se vive a vida” e pela qual a Graça e a sua rica Misericórdia sejam com todos vós.

Santa e Grande Quaresma 2013

+Bartolomeu  de Constantinopla
fervoroso suplicante a Deus por todos vós