[English] Printer-friendly version
The Ecumenical Patriarch
The Ecumenical Patriarchate
Bishops of the Throne
List of Patriarchs
Other Orhodox Churches
Theological and various articles
Ecological activities
Youth ministry
Interchristian relations
Conferences
Photo gallery
Holy Monasteries and Churches
Creed
Church calendar
Icons
Byzantine music
Contact details

Ἀρχική σελίς
Ἀρχική σελίς

Patriarchal Proclamation of Christmas 2010 in Portuguese.

Ἐπιστροφή
Ἐπιστροφή

Prot. No. 1338

+ BARTOLOMEU
Pela Misericórdia de Deus, Arcebispo de Costantinopla-Nova Roma,
e Patriarca Ecumênico
à Totalidade da Igreja
Graça, Paz e Misericórdia de Cristo Salvador, nascido em Belém

*  *  *
Amados irmãos concelebrantes e amados filhos no Senhor,

Dentro da atmosfera sóbria que recentemente tem prevalecido no mundo em função das muitas aflições das crises financeira, social, moral e especialmente espiritual, a qual tem provocado crescentes frustrações, amargura, confusão, ansiedade, desapontamentos e medo entre as pessoas em relação ao futuro, a voz da Igreja ressoa docemente:

Venham, ó fiéis, ergamos nossas mentes às coisas divinas e contemplemos a compaixão celestial que nos apareceu do alto em Belém...
(Hino da 6ª Hora, Natal)

A fé inabalável dos cristãos é que Deus não se limita a observar indiferentemente do alto a jornada dos seres humanos, os quais Ele pessoalmente criou segundo Sua imagem e semelhança. É por este motivo que a encarnação de Seu unigênito Filho e Palavra foi, desde o início, sua “Boa-Vontade”, Sua intenção original. Sua “vontade pré-eterna” era precisamente assumir em Sua pessoa, em um ato de extremo amor, a natureza humana que Ele criara com o fim de torná-la “participante da natureza divina” (2  Pedro 1:4). De fato, Deus já planejara isto antes mesmo da queda de Adão e Eva, antes mesmo da própria criação deles! Como consequência da “queda” de Adão e Eva, a “vontade pré-eterna” da Encarnação abraçou a Cruz, a Sagrada Paixão, a Morte Vivificante, a Descida ao Hades, e a Ressurreição depois de três dias. Deste modo, o pecado que infiltrara a natureza humana infectando tudo e a morte que subrepticiamente penetrara a vida foram completa e definitivamente destruídos, enquanto a humanidade pôde usufruir a plenitude da herança eterna do Pai.
         
Entretanto, a divina compaixão do Natal não está restrita às coisas relacionadas à eternidade. Ela também está relacionada à nossa jornada terrena. Cristo veio ao mundo para espalhar as boas novas do Reino do Céu e para iniciar-nos neste Reino. Ele veio também para socorrer e curar a fraqueza humana. Ele miraculosa e repetidamente alimentou as multidões que escutaram Sua palavra; ele curou os leprosos;  apoiou os paralíticos;  Ele concedeu luz ao cego, audição ao surdo e fala ao mudo; Ele livrou o possesso dos espíritos impuros, ressuscitou os mortos, apoiou os direitos dos oprimidos e abandonados; Ele condenou a riqueza ilegal, a indiferença em relação aos pobres, a hipocrisia e a “hubris” nas relações humanas; Ele ofereceu a si mesmo como um exemplo de sacrifício auto-esvaziante voluntário por amor do próximo!

Talvez seja essa a dimensão da mensagem da encarnação divina que deva ser particularmente enfatizada neste ano. Muitos de nossos amigos e colegas tem experimentado terríveis provações na crise atual. Existem incontáveis pessoas desempregadas, novos pobres, sem-teto, jovens com sonhos dilacerados. Entretanto, Belém é traduzida como “Casa do Pão”. Portanto, como cristãos fiéis, devemos a todos os nossos irmãos e irmãs com problemas, não apenas o “pão essencial” – isto é,  Cristo, enrolado em faixas  na simples majedoura de Belém – mas também o pão tangível da sobrevivência e tudo que “é necessário à vida corporal” (Tiago 2:16). Agora é a hora para a aplicação prática da mensagem do Evangelho com um dignificado senso de responsabilidade! Agora é a hora para uma implementação clara e exata das palavras do Apóstolo: “Mostre-me a tua fé com trabalhos!” (Tiago 2:18). Agora é a hora e oportunidade para nós “elevarmos nossas mentes às coisas divinas”, na altura da virtude majestática do Amor, a qual nos deixa mais próximos de Deus.

Isto é o que proclamamos a todos os filhos do Patriarcado Ecumênico desta sagrada e martírica Sé, a Igreja dos Pobres de Cristo, e invocamos sobre todos vocês a compaixão divina e a infinita misericórdia, assim como a paz e a graça do Filho Unigênito e Palavra de Deus, que por amor de nós encarnou-se do Espírito Santo e da Virgem Maria. A Ele pertencem a glória, o poder, honra e adoração, com o Pai e o Filho e o Espírito, na era das eras. Amém.

No Fanar, Santo Natal 2010
+ BARTOLOMEU de Constantinopla
Seu fervente intercessor perante Deus